Por que eu nasci dessa cor?


Todos convivemos com muita gente diferente no nosso dia-a-dia, não é mesmo? Mas o que faz com que tenhamos cores de pele diferentes? Por que até mesmo irmãos de um mesmo pai e uma mesma mãe podem variar muito no tom de pele? A Thalia, que tem 10 anos e mora na Serra do Cipó, nos deixou uma pergunta interessante relacionada ao assunto: “por que eu nasci dessa cor?”.

O aluno de Medicina da UFMG, Luiz Fernando Monte, nos dá uma mão para pensar melhor sobre o assunto. Ele diz que a cor de cada um vai depender da quantidade de “substâncias coloridas”, ou pigmentos, que temos. Uma delas é a melanina, que nos dá o colorido que temos. Quem produz esses pigmentos são umas células chamadas “melanócitos”, que ficam nas camadas mais profundas da nossa pele.

Mas agora, por que algumas pessoas têm mais pigmento que outras? Bom, de acordo com Luiz Fernando, quem regula a quantidade de melanina na pele são os nossos genes. “Eles são minúsculas moléculas que ficam lá dentro do núcleo das células e controlam tudo o que é produzido pela pele, inclusive a melanina”, explica ele. Os nossos genes são uma combinação dos genes do nosso pai e da nossa mãe, que são uma combinação dos genes do pai e da mãe deles, ou seja, nossos avós.

Por isso é que podemos ser parecidos com nossos pais, mas também com o nosso avô ou nossa avó.

Uma coisa bem legal a que Luiz Fernando chama a atenção é um fato histórico importante: você com certeza já ouviu dizer que o Brasil era habitado por índios antes de os portugueses chegarem. Pois é. Aí vieram os portugueses e outros europeus, africanos… e mais os índios que já moravam aqui. Daí, houve uma grande “mistura” entre esses povos e por isso somos o que somos, com essa diversidade de cores e traços que temos hoje.

Por isso que é bem provável que um amigo seu, mesmo que seja branquinho, tenha antepassados negros ou índios, ou que outro amigo seu, negro como chocolate em barra, também tenha algum ou vários ascendentes europeus e índios. E você? Sabe de onde vêm seus genes?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *