Por que temos cecê?

A brincadeira estava animada: todo mundo correndo, pulando e, claro, suando bastante! Eca! Mas de onde está vindo esse fedor?! Por que temos cecê? Quem nos enviou essa pergunta foi a Gisele de 10 anos e mora em Tocantins, Minas Gerais. O Luiz Fernando Monte, aluno de Medicina da UFMG, é quem nos ajuda com a resposta.

Na verdade, esse cheirinho azedo, popularmente conhecido como cecê, não aparece de um dia para o outro. Ele surge e vai aumentando de intensidade aos poucos, quando nossas glândulas sudoríparas apócrinas começam a funcionar. Glândulas sudoríparas são aquelas que produzem o suor. E nós, humanos, temos dois tipos delas: as écrinas e as apócrinas.

As primeiras funcionam desde que nascemos, e fazem com que o suor seja eliminado por todos os poros. Prova disso é o suor típico de quando a temperatura do nosso corpo se eleva, seja por estarmos correndo, pulando, seja por causa de uma febre. Esse tipo de suor, o écrino, é composto quase que totalmente só de água, portanto não reage provocando grandes fedores.

O suor que vai resultar em cecê vem das glândulas sudoríparas apócrinas. Essas só começam a funcionar quando estamos saindo da infância para entrar na adolescência. Neste período, várias mudanças começam a acontecer no nosso organismo. Entre elas, estão o surgimento de pêlos mais grossos em determinadas partes do corpo, alterações na voz e, também, a produção do suor apócrino – que é mais denso, ou seja, que concentra mais substâncias que o écrino.

Engana-se quem pensa que este suor já é o próprio cecê! Este cheirinho esquisito surge do lado de fora, quando bactérias que estão no nosso corpo entram em contato com o suor apócrino.

Para evitá-lo é preciso cuidados com a higiene. Ao tomar banho, dê uma atenção especial aos seus sovacos, lave-os com água e sabão e, depois, faça uso de um desodorante. Esse produto reduz as bactérias da axila, e quanto menos bactérias em contato com o suor apócrino, menor será a intensidade do cecê.

Como opção, há também os antitranspirantes que, em vez de agir sobre as bactérias, agem diminuindo o suor no local, assim, quanto menos suor, menor será a ação das bactérias e mais ameno será o cecê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *